SOTEPP –

Produção Audiovisual

Título: “Marcas de Expressão – O Reflexo da Vida nas Ruas”


Idealizadores: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções)
Direção: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções)
Imagens: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções)
Edição: Luan Macedo e Valesca Lidiane dos Santos Macedo (Fryda Produções).
Roteiro: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções).
Local: Maceió-AL.
Duração:16:31
Ano de produção: 2020.
Sinopse:
Neste documentário convidamos Natasha Wonderfull e Cristiane Efrré, para narrar a respeito da vida trans em Alagoas dos anos 90 até os dias atuais. Para reforçar, Cristiane nos disponibilizou arquivos contendo imagens e depoimentos daquela época. Um documentário poderoso e que certamente deve ser visto pelo máximo de pessoas possível. Este documentário foi produzido durante a pandemia seguindo todos os protocolos exigidos.In Memoriam: – Fernanda – Renatinha – Rubinete – Michele Lecrerrir – Joevio Outras Participantes do 24×24: – Josy – Deise Taner


“Minha vida é o Circo” apresentando o Circo África do Sul


Idealizadores: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções)
Direção: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções)
Imagens: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções) , Diná Ferreira e Dra.Jesana Batista.

Edição: Luan Macedo e Valesca Lidiane dos Santos Macedo (Fryda Produções)

Roteiro: Valesca Lidiane dos Santos Macedo e Luan Macedo (Fryda Produções) .
Local: Circo Africa do Sul – Estrada da Goibeira , Fernão Velho, Maceió-AL.
Duração: 27:20.
Ano de produção: 2020. .

Sinopse:

Este documentário foi produzido com o intuito de divulgarmos o trabalho do circo e conseguir doações.
Em tempos de pandemia devido à COVID-19, o Circo África do Sul que fica na Estrada da Goiabeira em Fernão Velho em Maceió-Alagoas, vem sofrendo limitações. Sem público e consequentemente sem muitas condições, os integrantes do circo concordaram em colaborar conosco.Além do Circo, também contamos com a parceria do Canal Wonderfull , membros do Grupo Transhow e outros apoiadores, como: Diná Ferreira e Dra. Jesana Batista(Docente do Sotepp).


DOC QUEM CALA NÃO CONSENTE


Idealizadores: Jorge Fernando de Souza Neto. José Jefferson Oliveira de Araújo. Daniela do Carmo Kabengele. Pedro Simonard.
Direção: Jorge Fernando de Souza Neto.

Imagens: Thales Souza.

Edição: Ebenézer Ferreira.

Roteiro: Jorge Fernando e José Jefferson.
Coordenação: Daniela do Carmo Kabengele e Pedro Simonard. Duração: 16:32. Local: Comunidade São Rafael e Comunidade Santo Onofre, Maceió/AL. Ano de produção: 2019.

Sinopse:

O Documentário relata a realidade de mulheres que foram/são vítimas de violência de gênero. A tônica do Documentário é debater a complexidade da violência de gênero sob a ótica e o protagonismo de mulheres que resistem, em uma sociedade marcada pelo patriarcado e machismo. O Documentário foi realizado em uma grota/favela na cidade de Maceió/AL. Todas as mulheres entrevistadas são maiores de idade e de maneira voluntária se dispuseram a participar.


Ambiente consciente

Descrição:

O vídeo mostra a atividade oriunda do projeto Ambiente-se realizada para a disciplina de seminários temáticos do SOTEPP, em que as discentes Amanda, Giulia, Letícia, Lorenna e Tainá fizeram uma roda de conversa com duas turmas de segundo ano do ensino médio da Escola Moreira e Silva localizada em Maceio-Al, sobre reciclagem e educação ambiental, além de uma oficina de reciclagem, em que os alunos puderam produzir brinquedos a partir de garrafa pet e a distribuição de cartilhas educativas.


Como ser mulher vivendo em situação de rua?

Autoria: Jainatan Rocha da Silva
Duração: 14:26
Local: Maceió/AL

Descrição:

O documentário relata a experiência de mulheres que vivem em situação de rua e que ao mesmo tempo encontram-se em situação e vulnerabilidade social, necessitando assim de um olhar ampliado para as suas necessidades. O documentário foi realizado na Cidade de Maceió-AL, mas especificamente na praça Sinimbú e na praia do Jaraguá. Todas as mulheres entrevistadas são maiores de idade e de maneira voluntária, desejaram participar do documentário.


Direção e imagens: Yana Marques / Humberto Santos
Ano de produção: 2019
Duração: 12 minutos

Roteiro/Idealizadores: Yana Marques / Benjamin Vanderlei
Cordenação: Vivianny Kelly Galvão e Daniela do Carmo Kabengele
Sinopse: O documentário é resultado final da disciplina de Seminários Temáticos do Mestrado em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas. Tem como objetivo discutir a realidade das mulheres marisqueiras que residem na Lagoa Mundaú, tendo como centralidade alguns eixos como: saúde, gênero e direitos humanos.


Espaços de Cultura, Espaços de Terror


Este documentário retrata os resultados de uma pesquisa sobre os modos de terror impressos naquilo que
entendemos por cultura e sua espacialização em cidades, museus, monumentos, memoriais e marcos históricos.

Produção: Nordestanças Filmes. Direção: Walcler Mendes Junior | Juliana Michaello. Imagens: Walcler Mendes Junior | Juliana Michaello.. Brasil, 2018. Duração: 61 minutos

Como você quer que eu te chame?


O documentário foi feito durante o Mutirão de Certidão de Transcidadania realizado em maio de 2018, no Centro
Universitário Tiradentes – UNIT/AL. O lançamento do documentário foi realizado em 28 de novembro de 2018 e
pode também se acessado no YouTube. A partir de retratos do
mutirão da Transcidadania (evento que teve como objetivo retificar o registro civil de pessoas travestis e
transexuais do estado de Alagoas), este documentário foi construído para estimular o debate quanto à
importância e necessidade de criação de políticas públicas para a população T. Os discentes do mestrado
Benjamin Vanderlei dos Santos, Rita de Cássia Azevedo Regis, Flavia da Silva costa, Gabriela Bothrel
Echeverria e a docente Jesana Batista foram os idealizadores e produtores do documentário. O objetivo das
atividades foi realizar a retificação do registro civil de pessoas travestis e transexuais, e contou com a parceria
das mães pela diversidade e da ACTTRANS. Foi realizado devido às dificuldades que ocorrem em função do não
reconhecimento do nome social, sendo uma forma de sensibilizar as estruturas estatais que podem garantir esse
direito.

Subjetividades TRANSbordantes


Direção e imagens: Felipe Graber
Ano de produção: 2018
Duração: 15 minutos
Roteiro/Idealizadoras: Valesca Lidiane dos Santos, Elenira Lima Pompe Perrelli e Karin Maria Montenegro
Cordenação: Pedro Simonard e Vivianny Kelly Galvão
Sinopse: Documentário discute narrativas trans sobre gênero, identidade de gênero, bullying e mediação de conflitos através dos depoimentos de três pessoas trans. Apresentado como trabalho final da disciplina Seminários Temáticos do Mestrado em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas.


corpos, coisas, maneiras: modos e usos do tempo

Esse documentário sonoro é resultado de pesquisa intitulada “Mapeamento sonoro do Sertão alagoano”, desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa Nordestanças e financiada através do edital 13/2016 da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL). A pesquisa, de caráter interdisciplinar, agregou questões dos campos da antropologia, comunicação social, arquitetura e urbanismo e etnomusicologia, contando com a participação de pesquisadores da UNIT/AL e da UFAL. Este projeto foi coordenado pelo Prof. Dr. Walcler Mendes Junior (SOTEPP-UNIT/AL), com a participação das professoras Jesana Batista Pereira (SOTEPP-UNIT/AL) e Juliana Michaello M. Dias (PPGAU-UFAL), além dos alunos de graduação do curso de Comunicação Social da UNIT/AL Marta Moura e Lorenna Monteiro.

DIREÇÃO: Walcler de Lima Mendes Junior | IMAGENS: Juliana Michaello M. Dias, Marta Moura, Walcler Mendes Junior | PRODUÇÃO: Jesana Batista Pereira | COORDENAÇÃO DE PESQUISA: Walcler Mendes Junior | DURAÇÃO: 33m49s | ANO: 2018


envelopando vento por método cartesiano

Esse documentário sonoro é resultado de pesquisa intitulada “Mapeamento sonoro do Sertão alagoano”, desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa Nordestanças e financiada através do edital 13/2016 da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL). A pesquisa, de caráter interdisciplinar, agregou questões dos campos da antropologia, comunicação social, arquitetura e urbanismo e etnomusicologia, contando com a participação de pesquisadores da UNIT/AL e da UFAL. Este projeto foi coordenado pelo Prof. Dr. Walcler Mendes Junior (SOTEPP-UNIT/AL), com a participação das professoras Jesana Batista Pereira (SOTEPP-UNIT/AL) e Juliana Michaello M. Dias (PPGAU-UFAL), além dos alunos de graduação do curso de Comunicação Social da UNIT/AL Marta Moura e Lorenna Monteiro.

DIREÇÃO: Walcler de Lima Mendes Junior | IMAGENS: Juliana Michaello M. Dias, Marta Moura, Walcler Mendes Junior | PRODUÇÃO: Jesana Batista Pereira | COORDENAÇÃO DE PESQUISA: Walcler Mendes Junior | DURAÇÃO: 12m55s | ANO: 2018


serras de matas dagua LAJEDOS TÃO GRANDES pedrinhas miudinhas

Esse documentário sonoro é resultado de pesquisa intitulada “Mapeamento sonoro do Sertão alagoano”, desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa Nordestanças e financiada através do edital 13/2016 da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL). A pesquisa, de caráter interdisciplinar, agrega questões dos campos da antropologia, comunicação social, arquitetura e urbanismo e etnomusicologia, contando com a participação de pesquisadores da UNIT/AL e da UFAL. Este projeto foi coordenado pelo Prof. Dr. Walcler Mendes Junior (SOTEPP-UNIT/AL), com a participação das professoras Jesana Batista Pereira (SOTEPP-UNIT/AL) e Juliana Michaello M. Dias (PPGAU-UFAL), além dos alunos de graduação do curso de Comunicação Social da UNIT/AL Marta Moura e Lorenna Monteiro.

DIREÇÃO: Walcler de Lima Mendes Junior | IMAGENS: Juliana Michaello M. Dias, Marta Moura, Walcler Mendes Junior | PRODUÇÃO: Jesana Batista Pereira | COORDENAÇÃO DE PESQUISA: Walcler Mendes Junior | DURAÇÃO: 29m21s | ANO: 2018


Acesso livre: acessibilidade, mobilidade e autonomia das pessoas com deficiência em Maceió/AL

Acesso Livre é um documentário que traz reflexões acerca da promoção de acessibilidade e do exercício da cidadania, direitos, educação e políticas públicas desenvolvidas para pessoas com deficiência no município de Maceió/AL, através de um estudo de caso da Av. Antônio Gomes de Barros (antiga Amélia Rosa). O trabalho é resultado da disciplina de Tecnologias e Políticas Públicas do mestrado em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas do Centro Universitário Tiradentes – Unit/AL e foi produzido pelos mestrandos do SOTEPP-UNIT/AL Adriana Thiara Oliveira, Benjamin Vanderlei e Guilherme Vasconcelos.

DIREÇÃO E ROTEIRO: Benjamin Vanderlei | DURAÇÃO: 21m40s | ANO: 2018


Arte do Muquém

O documentário, produzido pelos mestrandos do SOTEPP-UNIT/AL Alexandre Vasconcelos (arquiteto), Anny Rochelly Vieira (jornalista) e Kamila Canuto (fisioterapeuta), é resultado de trabalho de campo da disciplina Fundamentos em Sociedade em Meio Ambiente, ministrada pelo Prof. Dr. Pedro Simonard no Mestrado em Sociedade, tecnologias e Políticas Públicas. Cada aluno procurou colocar sua visão profissional nessa atividade interdisciplinar, analisando desde a questão do trabalho com o barro, até a questão social e a Lesão por Esforço Repetitivo (LER).

DIREÇÃO: Alexandre Vasconcelos, Anny Rochelly Vieira e Kamila Canuto | IMAGENS: Thales Souza | EDIÇÃO: Ebenézer Ferreira | ORIENTAÇÃO: Pedro Simonard | DURAÇÃO: 19m09s | ANO: 2017


Carreadas

Trata-se de um filme centrado nas práticas tradicionais dos carreiros e fabricantes de carros de boi no sertão alagoano. O filme foi desenvolvido com recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de Alagoas, a Universidade Federal de Alagoas e o Centro Universitário Tiradentes, e é resultado de dois anos de pesquisa desenvolvida pelo Grupo de pesquisa Nordestanças no sertão e agreste alagoanos. O documentário “Carreadas”, começou a ser editado no final de 2016 e foi finalizado em fevereiro de 2017, como forma de divulgação dos resultados obtidos a partir do Projeto de Salvaguarda do Patrimônio Imaterial de Alagoas. O projeto, coordenado pela Profa. Dra Juliana Michaello M. Dias (PPGAU/UFAL), contou com a participação dos professores doutores Walcler de Lima Mendes Junior (SOTEPP-UNIT/AL), Jesana Batista Pereira (SOTEPP-UNIT/AL) e Pedro Simonard (SOTEPP-UNIT/AL). A Pesquisa contou com alunos do curso de graduação em Comunicação Social da UNIT/AL e do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFAL.

DIREÇÃO: Walcler Mendes Junior, Juliana Michaello, Pedro Simonard, Jesana Batista Pereira | ROTEIRO E EDIÇÃO: Walcler Mendes Junior | IMAGENS: Karla Calheiros, Maria Vitoria Silvestre, Natália Tavares, Nathália Amaral, Pedro Simonard, Tatiane Almeida, Victor Falcão, Walcler Mendes Junior, William Félix | ARTE: Juliana Michaello | COORDENAÇÃO DE PESQUISA: Juliana Michaello | PESQUISADORES: Walcler de Lima Mendes Junior, Jesana Batista Pereira, João Paulo Omena Silva, Maria Francyelle Araújo, Pedro Simonard, Thalita Lins do Nascimento | BOLSISTAS: Adriane Canabarro (UFAL), Allyson Jesus (UNIT), Amanda Rodrigues (UFAL), Ana Caroline Araujo (UFAL), Camila Oliveira (UFAL), Daniela Novaes (UFAL), Emerson Távora (UFAL), José Henrique Costa Tenório (UFAL), Ingrid Géssica Araujo (UFAL), Ingryd Rodrigues Alves (UNIT), Isabela Braz (UFAL), Jéssica Patrícia da Conceição (UFAL), Karla Calheiros (UFAL), Maria Clara Marinho (UFAL), Maria Victória Silvestre (UFAL), Nathália de Almeida Amaral (UFAL), Reberth Almeida (UFAL), Taísa Theberge (UFAL), Tatiane Almeida (UNIT), Victor Falcão (UNIT), William Félix (UFAL) | DURAÇÃO: 1h12m03s | ANO: 2017


TranShow: dizeres sobre arte, corpo e gênero

Este documentário foi produzido pelo mestrando do SOTEPP-UNIT/AL Roberto Amorim, e orientado pela Profa Dra Jesana Batista Pereira (SOTEPP-UNIT/AL), e é resultado da disciplina Seminários Temáticos, do Mestrado em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas, sendo exibido na 4ª Jornada Interdisciplinar no Auditório da UNIT/AL em 25/04/2017.

DIREÇÃO, ROTEIRO E EDIÇÃO: Roberto Amorim | IMAGENS: Marcos Araújo | EDIÇÃO, EFEITOS E IMAGENS: Bruno Morais | ORIENTAÇÃO: Jesana Batista Pereira | DURAÇÃO: 10m35s | ANO: 2017


Cavalhadas de Alagoas

O sertão brasileiro ainda no século XX foi uma região marcada pelo coronelismo, prática que reproduzia a estrutura feudal de dominação. O coronel, equivalente ao senhor feudal, possuía direito de vida e morte sobre tudo e todos que pisavam suas terras. No lugar da polícia, os jagunços, no lugar da lei, os humores do senhor. O documentário apresenta uma prática cultural do sertão brasileiro, no estado de Alagoas: a cavalhada. A cavalhada praticada por vaqueiros e tangerinos, empregados do dono da terra, reproduz jogos de origem medieval que nas cores azul e vermelha remetem aos combates entre cristãos e mouros. Hoje, ao contrário do coronelismo que se adaptou às modernizações do estado, a cavalhada está em declínio e alguns poucos cavaleiros mantêm viva a tradição. Este filme é resultado de pesquisa desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa Nordestanças (UFAL|UNIT) no âmbito do Projeto de Salvaguarda do Patrimônio Imaterial de Alagoas, um convênio entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (SECULT-AL). O projeto, coordenado pela Profa. Dra Juliana Michaello M. Dias (PPGAU/UFAL), contou com a participação dos professores doutores Walcler de Lima Mendes Junior (SOTEPP-UNIT/AL), Jesana Batista Pereira (SOTEPP-UNIT/AL) e Pedro Simonard (SOTEPP-UNIT/AL). A Pesquisa contou com alunos do curso de graduação em Comunicação Social da UNIT/AL e do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFAL.

Documentário exibido na Mostra Arandu de Filmes Etnográficos, promovida pelo Laboratório de Antropologia Visual Arandu e pelo grupo de estudos Avaedoc, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em agosto de 2016.

DIREÇÃO: Walcler Mendes Junior, Juliana Michaello e Pedro Simonard | IMAGENS: Maria Victória Silvestre, Pedro Simonard, Walcler Mendes Junior | PESQUISADORES: Juliana Michaello, Jesana Batista Pereira, João Paulo Omena Silva, Pedro Simonard, Thalita Lins do Nascimento, Walcler de Lima Mendes Junior | BOLSISTAS: Adriane Canabarro (UFAL), Allyson Jesus (UNIT), Amanda Rodrigues (UFAL), Ana Caroline Araujo (UFAL), Camila Oliveira (UFAL), Daniela Novaes (UFAL), Emerson Távora (UFAL), José Henrique Costa Tenório (UFAL), Ingrid Géssica Araujo (UFAL), Ingryd Rodrigues Alves (UNIT), Isabela Braz (UFAL), Jéssica Patrícia da Conceição (UFAL), Karla Calheiros (UFAL), Maria Clara Marinho (UFAL), Maria Victória Silvestre (UFAL), Nathália de Almeida Amaral (UFAL), Reberth Almeida (UFAL), Taísa Theberge (UFAL), Tatiane Almeida (UNIT), Victor Falcão (UNIT), William Félix (UFAL) | DURAÇÃO: 13m40s | ANO: 2016.


Cadernos de Viagem | Nepal

FIlme documentário de caráter etnográfico que aborda questões relativas à cultura, religião e política da sociedade nepalesa.
DIREÇÃO: Walcler Mendes Junior (SOTEPP/UNIT) e Juliana Michaello (UFAL) | DURAÇÃO: 31m10s | ANO: 2015.


A Lapinha da Dudé

Maria José Ferreira, Dona Dudé, é mestra de folguedos e carrega de memória um auto popular natalino conhecido como Lapinha. Trata-se de uma manifestação cultural em vias de extinção em Alagoas. Este filme apresenta as estratégias de resistência dos brincantes frente a indiferença e o silêncio de poderes públicos e privados.

Documentário participante da mostra competitiva do 4º Festival Sururu de Cinema alagoano (Maceió/AL, 2013).

Documentário participante da mostra competitiva do II Festival Theo Brandão de fotografia e filmes etnográficos, organizado pelo Museu Théo Brandão (Maceió/AL, 2014), no qual recebeu Menção Honrosa.

DIREÇÃO: Walcler Mendes Junior (SOTEPP-UNIT/AL)| DIREÇÃO DE ARTE: Juliana Michaello (PPGAU/UFAL) | PESQUISA: Ismélia Tavares (Comunicação Social – UNIT/AL)| DURAÇÃO: 31m14s | ANO: 2013

Topo