SOTEPP –

Cultura e Narrativas

Disciplina eletiva | 45h | 3 créditos


Ementa

Esta disciplina compreende a narrativa como nova abordagem teórica ou novo gênero de filosofia da ciência, ou seja, uma forma de vida discursiva e cultural. As narrativas serão trabalhadas a partir das investigações sobre as formas pelas quais organizamos memórias, intenções, estórias de vida e os ideais do self, ou identidades pessoais e como são criados os mitos. O objetivo é construir um espaço de discussão interdisciplinar tendo a narrativa como arte que se aproxima da cultura como expressão da plasticidade do humano, e ambas embrenham-se na polifonia das vozes. A disciplina discutirá: i) o conceito de cultura e suas encenações híbridas, pós-colonialistas e tecnocapitalistas; ii) incursões sobre formas narrativas para se compreender em que searas operam a trama dos valores culturais; iii) narrativas como mitos, profecias, relatos de viagem, aventuras, histórias, vozes ocultas, depoimentos; iv) devaneios sobre a cultura visual, a ficção, a criação e a cultura.


Referências

AUGRAS, Monique. Imaginário da magia: magia do imaginário. Petrópolis, RJ: Vozes; Rio de Janeiro: Editora PUC, 2009.

CALVINO, Ítalo. Seis Propostas para o Próximo Milênio. São Paulo: Cia das Letras, 2015.

BLANCHOT, Maurice. O Livro por Vir. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

MARCH, Jenny. Mitos Clássicos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

ECO, Umberto. Entre a Mentira e a Ironia. Rio de Janeiro: Record, 2006.

FISCHER, Michael M. J. Futuros antropológicos: redefinindo a cultura na era tecnológica. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2011. – (Ensaios Latino-americanos, I).

MACIEL, Maria Esther. As Ironias da Ordem – coleções, inventários e enciclopédias ficcionais.  Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.

LIPOVETSKY, Gilles. A cultura-mundo: resposta a uma sociedade desorientada. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

MINDLIN, Betty. Moqueca de maridos: mitos eróticos indígenas. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

SCHMITT, Jean-Claude. O corpo, os ritos, os sonhos, o tempo: ensaios de antropologia medieval. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

SACKS, Oliver. Um antropólogo em marte: sete histórias paradoxais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

WAGNER, Roy. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

XINRAN. As boas mulheres da China: vozes ocultas. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.


Filmografia

AMARAL, Nilton. 1959. Jeca Tatu. Brasil. Duração 95 minutos.

ANDRADE, Joaquim Pedro de. 1969. Macunaíma. Brasil. Duração 1h 50m.

ROTHEROL, Don. 2000. The Coconut Revolution (Revolução dos Cocos). United Kingdom. Duração 50 minutos.

ANNAUD, Jean-Jacques. 1986. Le Nom de la Rose (O Nome da Rosa). França/Itália/Alemanha. Duração 2h 11m.

SCOLA, Ettore. 1990. Il Viaggio di Capitan Fracassa (A Viagem do Capitão Tornado). França/Itália. Duração 132m.


Topo